28/9/13: Dia da Covardia contra a educação no Rio

Por Max Laureano

luto_professores

Manifestação no dia seguinte à violenta desocupação da Câmara. Foto: Samuel Tosta

O dia 28 de Setembro vai ser conhecido como o Dia da Covardia. Dia de tristeza e luto, porque a Educação apanhou covardemente da polícia do governador Sérgio Cabral.
Você se lembra daquela sua professora, que lhe ensinou a ler e escrever? Daquela merendeira, que lhe deixava repetir a merenda deliciosa, dando aquela piscadinha?
Pois é: elas estão em greves, e ocuparam a Câmara dos Vereadores da Cidade do Rio de Janeiro.

Os professores estavam na Câmara para impedir a votação de um documento criado pelo prefeito Eduardo Paes e seus aliados de forma “ilegal”, porque foi feito às pressas e sem atender nenhuma nenhuma das reivindicações feitas. Ele afirmou que a maioria das reivindicações seriam atendidas e assim os professores voltaram a trabalhar (depois de muito serem enrolados). Entretanto, tudo não passou de mais uma enrolação e o tal documento/plano de carreira mal feito seria votado e com muitas evidências, aprovado. É importante ressaltar que muito mais que aumento no salário, como é sempre reforçado pela mídia, luta-se dentre outras muitas coisas, pela redução de alunos em sala, pelo fim dos professores polivalentes (o cara de história ensinando matemática, português, etc), pelo fim de um sistema que funciona por estatísticas e gratificações, levando profissionais a aprovarem e avaliarem alunos de forma positiva, ainda que não tenham aprendido nada, a fim de atender exigências das direções e do governo. Como os 20 centavos…não é só contra um pedaço de papel que seria assinado, mas sim contra o total descaso e fracasso da educação.

A PM invadiu a Câmara e agrediu os profissionais que lá estavam SEM TER UMA ORDEM JUDICIAL!

professores_repressaoA PM recebeu uma ordem do governador Sergio Cabral, após a solicitação do presidente da Câmara, Jorge Fellipe. Os profissionais da Educação obedeciam o conselho para permanecerem na Câmara dado inclusive por representantes da OAB. No momento mais crítico da noite, a Polícia Militar invadiu a Câmara Municipal do Rio de Janeiro e retirou com brutalidade os profissionais da educação.Chegaram como o ladrão, aquele que espera as pessoas adoecerem ou relaxarem na vigilância, para atacar. Mostraram a verdadeira face do sistema, aquela que nem máscaras conseguem esconder: arbitrariedade, autoritarismo, covardia, traição, descaso.

A desocupação foi violenta, com cenas de horror. Massacraram profissionais da Educação, indefesos, dedicados à qualidade da aula que dão para seus estudantes. Jogaram Spray de Pimenta em pessoas desarmadas. Havia merendeiras idosas, pelo menos uma com deficiência física. Bateram, covardemente, nas pessoas mais honestas que já passaram por aquele plenário,conhecido pela corrupção da maioria de seus ocupantes.

Nos recentes protestos pelas cercanias do Cabral a PM batia porque alegava violência por parte dos manifestantes. Agora batem nos professores alegando o quê? Definitivamente não existe o mínimo de respeito aos profissionais da educação neste país. Vândalo é o Estado, mata favelado, escraviza o pobre e desrespeita a todos
Independente de posicionamento em relação ao sindicato e à greve, A ARBITRARIEDADE APRESENTADA MERECE TOTAL REPÚDIO DE TODOS, principalmente de TODOS profissionais da educação.

Ele não cometeram nenhum crime. Talvez o que uma professora confessou e espero que vocês sigam o exemplo: “Meu crime é lutar por uma educação de qualidade. Meu crime é estudar, pesquisar, produzir conhecimento. Meu crime é amar a justiça e o direito e desejá-los, com muita fome e sede.”

Mexeu com o Educador, mexeu comigo!!
Fora Cabral! Fora Paes! Fim da PM! Todo apoio aos Profissionais da Educação!

Este vídeo, feito pela equipe do Mídia Ninja, mostra o momento em que os manifestantes da Câmara são atacados pela polícia:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *